top of page

Portugal anuncia novas medidas restritivas

Portugal terá, a partir de 1º de dezembro, novas regras para conter um recente avanço da pandemia de Covid-19. As medidas foram anunciadas na tarde desta quinta-feira (25) pelo primeiro-ministro, António Costa, após reunião do Conselho de Ministros.


Segundo o líder do país, os certificados de vacinação voltarão a ser obrigatórios para entrada em restaurantes, hotéis e academias. Testes negativos e confirmação de recuperação da doença também serão aceitos. Diferente do passado, em que o uso era apenas necessário aos finais de semana, a exigência será diária.


“É fundamental que as pessoas sintam segurança a ir ao restaurante, às compras, a fazer a vida normal. O certificado [digital] não é uma barreira, é pelo contrário uma garantia de segurança e que podemos estar em segurança”, destacou o primeiro-ministro António Costa.


➡️Outra medida que entrará em vigor no início de dezembro é a volta da obrigatoriedade do uso de máscara em todos espaços fechados.


➡️O não uso da máscara continua liberado para áreas externas. É importante frisar: para os turistas brasileiros que querem viajar a Portugal não há alteração nas exigências sanitárias. Somente é obrigatório a apresentação de um teste PCR (72 horas antes do voo) ou antígeno (48 horas antes) negativo.


Em relação às fronteiras, o primeiro-ministro garante que não existe o objetivo de proibir as viagens novamente. No entanto, o governo anunciou o reforço da fiscalização dos testes. Os exames, que já são obrigatórios para quem chega do Brasil e não foi vacinado na Europa, por exemplo, serão expandidos para todos os passageiros, independentemente da origem.


Além da fiscalização já existente, o governo contratou seguranças privados para abordar todos os passageiros dos aeroportos em relação aos testes. António Costa salientou que as companhias aéreas só podem permitir o embarque de viajantes com exame.

O primeiro-ministro classificou como “irresponsabilidade” deixar que os passageiros entrem nos aviões sem a certificação negativa para a doença. O líder português confirmou que as companhias aéreas poderão receber sanções, como serem banidas do espaço aéreo, caso não cumpram com a regra. Já os passageiros que chegarem ao país sem teste terão que pagar uma multa de 20 mil euros.






36 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page