top of page

Turismo na Europa pode estar em risco devido à escassez de mão de obra



O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) e o Conselho Europeu de Viagens (ETC) alertaram para o sério risco que a recuperação do turismo corre, caso os quase 1,2 milhão de empregos permaneçam vagos na UE (União Europeia). O WTTC revelou em sua última análise que a escassez de mão de obra na Europa durante o verão, pede ações urgentes.


Em 2020, quando a pandemia atingiu o pico, quase 1,7 milhão de empregos foram perdidos nos setores de viagens e turismo em toda a UE. Em 2021, a contribuição direta do setor para a economia da UE recuperou 30,4%, recuperando 571.000 empregos, à medida que os governos começaram a aliviar as restrições de viagem e a confiança dos viajantes melhorou.


Em 2022, o WTTC espera que a recuperação do setor continue a acelerar, quase atingindo os níveis pré-pandémicos, prevendo-se que a sua contribuição direta para a economia da UE cresça 32,9%.


“A Europa registrou uma das recuperações mais fortes em 2021, acima da média global. No entanto, a atual escassez de mão de obra pode atrasar essa tendência e pressionar ainda mais um setor já em apuros. Os governos e o setor privado precisam se unir para oferecer melhores oportunidades para as pessoas que procuram grandes oportunidades de carreira no setor”, afirmou a presidente e CEO do WTTC, Julia Simpson.



Há grande probabilidade de que boa parte do número de vagas de emprego permaneça em aberto durante o movimentado período de verão, com as agências de viagens a serem as mais atingidas, com uma escassez de pessoal de 30% (quase um terço das vagas).


Enquanto isso, os setores de transporte aéreo e alojamento deverão ter uma em cada cinco vagas não preenchidas, representando respetivamente 21% e 22% da escassez de pessoal.


No contexto do cenário atual, o WTTC e a ETC identificaram seis medidas que os governos e o setor privado podem implementar para resolver esse problema:


  • Facilitar a mobilidade da mão de obra dentro dos países e além fronteiras e fortalecer a colaboração em todos os níveis, fornecendo vistos e autorizações de trabalho;

  • Permitir trabalho flexível e remoto sempre que possível – especialmente se as restrições de viagem ainda impedirem que os trabalhadores se desloquem livremente através das fronteiras;

  • Assegurar trabalho decente, proporcionar segurança social redes e destacar oportunidades de crescimento de carreira – com trabalho seguro, justo, produtivo e significativo – para reforçar a atratividade do setor como uma escolha de carreira e reter novos talentos;

  • Capacitar e requalificar talentos e oferecer e criar formação abrangente – para equipar a força de trabalho com habilidades novas e aprimoradas;

  • Criar e promover educação e aprendizagem – com políticas efetivas e colaboração público-privada, que apoiem programas educacionais e formação baseada em aprendizes;

  • Adotar tecnologias e soluções digitais para melhorar as operações diárias, bem como a mobilidade e a segurança nas fronteiras para garantir viagens seguras e contínuas e uma experiência aprimorada do cliente.


19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page