top of page

Parlamento alemão aprova aumento salarial

O aumento pode colocar a Alemanha em segundo lugar no ranking de países com os maiores salários mínimos da UE.



O Parlamento alemão aprovou, na última semana, o aumento do salário mínimo do país para cerca de 15% a partir de 1º de outubro deste ano. A medida deve beneficiar cerca de 6 milhões de trabalhadores no país.


Com o aumento, o valor pago por hora trabalhada passará dos atuais 9,60 euros para 12 euros (cerca de R$ 62,78 hoje). Esse aumento pode colocar a Alemanha em segundo lugar no ranking da União Europeia (UE) de países com os maiores salários mínimos. O atual líder é Luxemburgo, com um mínimo de 2.313,38 euros.



O ministro do Trabalho, Hubertus Heil, disse que o ajuste desempenha um papel importante na valorização da força de trabalho do país e no fortalecimento da economia alemã.


“Um salário mínimo à prova de pobreza é uma questão de justiça e respeito pelo trabalho honesto. (…) Desta forma, fortalecemos o poder de compra e damos um impulso importante à recuperação econômica. (…) O desempenho deve ser reconhecido e o trabalho deve ser pago de forma justa. É por isso que vamos aumentar o salário mínimo para doze euros”, afirmou o ministro.


De acordo com o último relatório publicado pelo Departamento Federal de Estatística (Destatis), cerca de 45,3 milhões de residentes alemães estão atualmente empregados no país. Esses números referem-se a abril deste ano. Em relação a março, o emprego total aumentou em mais 53 mil pessoas, um aumento de 0,1%. Segundo o Destatis, estes números já mostram que o país voltou aos níveis pré-pandemia.



Kommentarer


bottom of page