top of page

Passaporte sanitário, o "passe verde" quais países exigem?

A gente tem visto a campanha de vacinação contra a Covid-19 avançando e alguns países começaram a adotar medidas que incentivam os indecisos a se imunizarem também. Eu já falei por aqui no canal que a França e a Itália estão exigindo em praticamente todos os estabelecimentos que o visitante mostre o passaporte sanitário onde apresenta o certificado de vacinação. E para quem não tem um, é necessário recorrer aos testes constantemente para ter acesso a restaurantes e eventos. Os testes são cobrados e válidos por até 48 horas, com isso, depois desse prazo, se quiser ter acesso a um desses lugares, é necessário gastar de novo e renovar o teste. Isso fez com que a quantidade de procura pela vacina aumentasse.




Vamos ver agora como estão alguns países em relação ao passaporte sanitário? Esses passaportes de saúde, também são conhecidos como "passaporte de imunidade", "passaporte Covid" ou "passe verde", e são documentos emitidos pelo governo de um determinado país, geralmente é um aplicativo que você pode apresentar até mesmo no celular.



Israel foi um dos primeiros a adotar em fevereiro o "passe verde" - para permitir o acesso de vacinados a estádios, teatros ou piscinas, entre outros lugares. Em 1.º de junho o governo israelense retirou a exigência, alegando que o baixo número de infecções não o tornava mais necessário. Com isso, foi o primeiro país a implementá-lo e o primeiro a retirá-lo. Mas com o ressurgimento de casos de Covid-19 devido à variante delta, o país está restaurando o passe verde da vacina.

Falando agora na Europa, em junho, o Parlamento Europeu aprovou o Certificado Digital Covid para viagens dentro da União Europeia. O certificado mostra que uma pessoa foi vacinada contra a Covid-19, testou negativo para o vírus ou se recuperou da doença e permitirá a livre circulação em todos os países membros da UE. Além disso, cada país pode decidir se funciona como um “passe verde” para entrar em restaurantes e espetáculos em espaços fechados, por exemplo. A França foi um dos primeiros países da Europa a anunciar um cartão de saúde que permite aos seus titulares o acesso a vários estabelecimentos. Para entrar em locais como bares, restaurantes, cinemas e teatros e em espaços ao ar livre, os franceses precisam mostrar a versão digital ou em papel do cartão de saúde. A partir de 30 de agosto, os trabalhadores de algumas áreas serão obrigados a se vacinar por lá. Você já sabe que a França está aberta para turistas vacinados que saem do Brasil, porém até então se você estava indo passear e não possui residência na França, não era possível incluir o certificado de vacinação brasileiro nesse passaporte adotado por eles. E era necessário apresentar um teste recente sempre que entrasse em algum estabelecimento. Mas agora, felizmente, já é possível solicitar a equivalência do certificado de vacinação emitido no Brasil para circular na França. Eu dou o passo a passo de como fazer isso aqui neste vídeo.

Já a Irlanda optou por usar o certificado digital da UE para controlar a entrada de pessoas em locais públicos fechados. E de acordo com o governo irlandês, as pessoas vacinadas fora da UE também podem mostrar uma prova de imunidade na entrada das instalações. Não dá para saber ao certo se o certificado brasileiro é aceito. Então se você está na Irlanda ou conhece alguém por lá, conta aqui para gente nos comentários, como andam as exigências por aí. O novo processo de controle na Irlanda permitiu que os pubs que só vendiam álcool, sem mesas ao ar livre, reabrissem após 15 meses de fechamento.

A Itália começou a introduzir um passe verde obrigatório que foi projetado para evitar que pessoas não vacinadas entrem em locais fechados ou lotados. O passe está disponível em formato de certificado digital ou papel e mostrará quantas vacinas uma pessoa recebeu, se ela teve resultado negativo em um teste de PCR nas últimas 48 horas, ou se ela se recuperou recentemente de Covid-19. O passe permite que as pessoas que receberam uma dose entrem em locais fechados, como restaurantes e cinemas, e aqueles que têm duas doses, o acesso a locais de encontro com mais pessoas. A Holanda está usando seu sistema próprio chamado CoronaCheck que alivia as restrições de viagem para alguns países. O governo holandês afirma que se você viaja para lá sem o Certificado Digital Covid da UE é preciso apresentar um resultado negativo no teste feito até 40 horas antes de entrar. Vale ressaltar que apenas cidadãos e residentes na União Europeia conseguem realizar o cadastro do Certificado Digital Covid da UE e com isso quem viaja do Brasil para um desses países, não consegue emitir esse passaporte. Em alguns lugares, o certificado de vacinação do Brasil é aceito, como na França e na Suíça, mas na grande maioria dos países, ainda não. Se você é residente na UE, deverá fazer o passe verde no site do seu país de residência.

Em Portugal, os viajantes são obrigados a apresentar o Certificado Digital ou um teste negativo para fazerem o check-in em qualquer hotel ou alojamento local. Nos municípios considerados de alto ou muito alto risco, também é necessário apresentar para comer em ambientes fechados, por exemplo. Quem sai do Brasil, mas possui o número de utente em Portugal, consegue validar o certificado de vacinação feito no Brasil indo até um posto de vacinação. Para quem está indo turistar pela Europa e não possui residência, é preciso verificar como anda a exigência do passaporte sanitário no país onde está indo.


60 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page